Traduzido de UnlimitedNovelFailures

Capítulo 14: Primeiros Companheiros?

“Então, qual é seu nome?”
“Por que eu deveria te dizer meu nome?”
“Huh? Fala de novo?”

Arnold não sabia como reagir a cada uma das replicas imprevista de Hiiro.

“Brincadeira.”
“Era uma piada? Isso é tão irritante!”
“Meu nome é Hiiro Okamura. Um aventureiro e… uma traça de livros.”
“Mas que..! A ultima parte é só um hobby!”
“Fufufu”

De repente Muir deixou escapar uma pequena voz.

“Oh, Muir fica tão fofa quando está rindo afinal.

Ouvindo isso, Muir corou de vergonha. Arnold fez uma expressão nojenta de satisfação também.

“………Você é um pervertido que curte garotinhas?”
“Hey, espera! Eu não posso deixar essa passar!”
“Uhh…. Eu não sou… uma garotinha.”

Os dois ficaram bravos.

“Certo! Ela pode não parecer, mas ela já tem doze! Ela já até pode dar a luz!”

Arnold disse orgulhosamente, com um sinal de afirmativo, mas a garotinha perto dele o encaravam intensamente.

“N- Não diga coisas tão embaraçosas!”

Vendo ela falando nervosa e com as bochechas estufadas, Hiiro percebeu uma coisa.

“Tão diferente de antes.”

Ele a imaginou como sendo uma criança quieta que nunca ficava brava, de forma alguma atrevida.

“Mh? Você fala da Muir? Bem, duh, qualquer um se encolheria quando um vilão bruto com aparência de mau surge, não apenas minha linda Muir.”
“Tudo bem, parece que você gostaria de experimentar minha espada!”
“Hiiro emitiu uma sede de sangue com seus óculos brilhando.”

“Pft! Só tente! Se for pra proteger a Muir, eu vou até comer cocô!”
“…….Você é uma falha como ser humano.”

Muir também estava perplexa com a mistura de sentimentos.

“Pah! Isso o é só quão importante ela é! A propósito, eu tenho uma pergunta pra você, Hiiro.”
“Eu não vou te dizer nada sobre minha habilidade.”
“Grr…”

Era sobre aquilo afinal

“Mas eu nunca vi magia que estica uma espada antes.”
“Não é só uma espada, mas uma katana.”
“Uma katana? Agora que você falou. Então aquilo é uma katana? Parece muito bem-feita.”
“Não faço ideia, mas é facil de usar.”
“Mhm~ Então, a respeito do—”
“Eu não vou te dizer nada sobre minha magia.”
“Por que? Qual é o mal nisso? Eu partilhei minha carne com você!”
“Aquilo era compensação pela minha ajuda. O assunto está encerrado.”
“Ugg…”

Não havia nada a se fazer sobre isso.

“De qualquer forma, eu estou surpreso que você pode bater papo com um completo estranho.”
“Mh? Bem, de alguma forma nós acabamos comendo juntos afinal. Além disso, você não parece ser um cara ruim.”
“O que te faz pensar isso? Eu sou humano afinal. eu posso atacar aquela nanica ‘Gabranth’.”
“!?”

Num instante, Muir ficou palida e Arnold segurou sua espada. Sua expressão estava cheia de hostilidade. Mas Hiiro os olhava calmamente.

“D- Do que você poderia estar falando?”
“Sua reação me diz mais que o suficiente.”

A reação de Arnold provava que Hiiro estava certo.

“Kuh… Como você soube?”
“….Mm.”

Ele apontou pra um certo lugar. Era a pro trazeiro de Muir.

“M- Maldito! Você estava cobiçando a Muir afinal?!”

Como parecia estar havendo um grande mal entendido, Hiiro soletrou pra ele relutantemente.

“Olhe com atenção. Esteve se mexendo o tempo todo… isto é, a calda dela.”
“Eh!?”

Dessa vez, Muir exclamou surpresa. Ela rapidamente checou atrás dela e perdeu a respiração.

“H- Hey, Muir…”

Arnold tinha congelado também.

“D- Desculpa!”

Aparente mente a calda dela estava escondida dentro de suas roupas e não intencionalmente apareceu devido a deliciosa refeição.

“A calda é uma feição dos ‘Gabranth’, certo? E aquele chapéu está escondendo a outra feição, as orelhas de animal, certo?”

Os dois ficaram em silencio com as palavras de Hiiro. Então Arnold falou com uma expressão perturbada.

“…..De fato, ela é uma ‘Gabranth’. Mas Muir… Nós não fizemos nada de errado! Então não diga a ninguém!”

Ele o encarou seriamente. E ao mesmo tempo, Arnold se preparou para sacar sua espada… mas aquilo era desnecessário.

“Dizer pra alguém? Por que eu diria? Eu não me importo se você é humano ou um beastman.”
(Tl: beastman = homem-fera)
“…Huh?”

Os dois ficaram boquiabertos.

“Ela ser de uma raça diferente não muda o fato dela ser um ser vivo, certo?”
“V- Você…”
“Pra ser honesto, eu não dou a mínima. O que tem de divertido em espalhar rumores?”

Hiiro perguntou seriamente com um olhar severo. Vendo aquilo, começou a gargalhar.

“Kakakakaka! Você é um cara engraçado, Hiiro!”
“Não ria de mim. Eu vou te esfaquear.”
“Não, eu entendo agora. Claro que existem caras como você…”

Dizendo isso Arnold virou o trazeiro pra ele.

“….Qual é a grande ideia?”

Hiiro fez uma cara feia por de repente ter uma bunda empurrada na sua cara. Ele considerou seriamente esfaquear ele uma vez.

“Apenas olhe.”

Dali uma calda apareceu das calças dele. Hiiro arregalou os olhos um pouco.

“….Você é um também.”
“Sim. Eu- nós somos ‘Gabranth’;”

Daí ele ouviu deles que eles estavam a caminho para cruzar a fronteira pro continente ‘Gabranth’. Mas como esse era o continente dos ‘Humas’, isso iria sem duvidas causar um desastre quando a verdadeira identidade deles fosse descoberta, considerando a situação atual do mundo.
Pessoas eram mais compreensivas com eles do que com os ‘Evila’ e não os matavam ao encontra-los, mas eles inegavelmente atraiam atenção. Sem esquecer dos radicais. Arnold tinha visto mais que o suficiente deles. Por isso eles esconderam suas identidades e fingiram ser humanos.
Hiiro olhou para Arnold em busca de algo quando perante a um beastman. Notando o olhar dele, arnold riu brevemente e perguntou.

“Imaginando por que eu não tenho orelhas de animal?”

Sim, Arnold não usava nenhum equipamento na cabeça, Ainda assim nenhuma orelha de animal podia ser vista.

“Quer saber?”
“Na verdade não.”
“Entendo, se você quer tanto saber, eu te digo.”
“Você não me ouviu?”
“Não seja assim. Além disso… Não é completamente não relacionado com você.”

Depois dessas palavras, Arnold começou a falar antes que Hiiro pudesse replicar.

“Sabe… Eu as perdi.”
“Perdeu?”

Hiiro perguntou por reflexo.

“Sim, porque eu sou um ex-escravo.”

O sistema de escravos. Era um sistema estabelecido principalmente para humanos perserguirem beastman. Sequestrado ainda jovem, eles ganhavam uma marca chamada «Marca de Aprisionamento Mágico» gravada em seus corpos.  A marca prevenia que eles fugissem ou se rebelassem fazendo com que o poder mágico em seus corpos reagissem a tais ações dando-lhes intensa dor.
Há muito tempo quando os beastman não tinham um país próprio, sem status social ou autoridade, muitos deles eram escravizados por humanos como animais domésticos.
Hoje em dia o sistema escravista tinha sido abolido, mas continuava por trás das cortinas em forma de mercados de escravos.
Arnold foi uma vítima daquilo e o humano que o comprou como escravo, fez com que tivesse suas orelhas de animal arrancadas. Suas orelhas, o orgulho de um beastman, tinha sido eternamente tomado, só porque o humano por acaso estava de mau humor.
“Agora eu entendo.”

Isso estava relacionado com Hiiro, já que ele era um humano também. Um dos ‘Humas’, que perseguiram os beastmen, não só o Arnold.

“De um jeito ou de outro, eu me livrei da «Marca de Aprisionamento Mágico» e fugi.”
“Isso é assim tão fácil de se remover?”
“Nah, ninguém além do mestre pode apaga-la Embora isso automaticamente desapareça quando o mestre morre.”
“Então você…”
“Sim, eu não podia fazer eu mesmo, mas eu fiz um cara que sabia como eu… como nós escravos eramos tratados fazer.”

Com a morte de seu mestre, Arnold oficialmente tornou-se livre. Ouvindo essa história, Muir também ficou desanimada e parecia triste.

“Bem, depois de conseguir minha liberdade, eu me tornei um cozinheiro viajante! Brilhante, não sou!?”
“Deixando o brilhante de lado, você com certeza teve uma vida dura. Normalmente não seria estranho ter um trauma de humanos.”

O fato dele estar falando com Hiiro dessa forma agora era um mistério por si só.

“Vamos esquecer o passado. Sem esquecer, que quem me ajudou era um ‘Humas’ também.”
“Eu com certeza iria atrás de vingança. Fazendo isso e aquilo…”
“V- Você está me assustando… Pooh! De qualquer jeito, eu estou feliz agora e isso é tudo que importa.”

Ele disse enquanto acariciava a cabeça de Muir. Ela estreitou os olhos contente.

“Isso me lembra, o que você está fazendo por aqui, Hiiro? Uma missão?”
“Eu não tenho obrigação de—”
“me responder. É, é, chega disso. Qual o mal de me dizer ao menos isso?”

Certamente, não havia mal algum, mas ele também não precisava. Era apenas a curiosidade do Arnold. E não só a dele, Muir também olhava fixamente para ele.

“……..Haah. Eu tenho a intenção de…”

Os dois se penduraram em cada palavra de Hiiro. Ele falou devagar…

“cruzar a fronteira.”
“…Eh? V- Você quer dizer…?”
“Sim, assim como vocês dois.”
“Por que!?” Por que um humano como você está indo pro continente dos beastman
“Huh? Obviamente porque eu quero vê-lo.”
“…Diga de novo?”
“Eu não me importo com política. Eu faço o que quero e não paro por nada, nem mesmo matar, se alguém ficar em meu caminho.”
“…..Pft.”

Arnold começou a rir novamente.

“O que é tão engraçado, pervertido?”
“Hey, esse título é dado agora!?”
“De qualquer forma. Eu só estou fazendo o mesmo que vocês.”

Arnold falou de repente com um olhar sério.

“Isso não é uma excursão, cara. Os ‘Gabranth’ estão atualmente preparados para atirar, de mais de um jeito. Se eles encontrarem um humano, não vai acabar bem.”
“Tudo bem por mim. Eu vou virar a sobre eles!”
“…Você está falando sério?”
“Naturalmente. Eu não tenho motivo algum para fugir.”
“Os beastman são fortes.”
“Mas eu sou mais forte.”

Como ele tinha a «Magia das Palavras», ele acreditava que tudo ia dar certo.

“Não diga agora. Eu estou ficando mais e mais interessado em você.”
“Pare com isso, você está me dando arrepios. Eu não corto pra esse lado.”
“Nem eu, droga!”

Daí Arnold gritou “Você não pode levar isso a sério?” irritado, ao passo que Hiiro respondeu “Provavelmente não” de maneira indiferente. Assistindo a troca deles, Muir mais uma vez deixou escapar um pequeno sorriso.

“De qualquer forma, nosso encontro deve ser algum tipo de destino. E nós estamos indo na mesma direção também. Quer ir junto?”
“Pare de brincar. Que absurdo é esse? Eu estou bem por con…”

Dizendo isso, ele fez uma cara um tanto pensativa e ficou em silencio, então Arnold perguntou a ele.

“O- O que está errado?”
“Você quis dizer: venha conosco, por favor. Certo?”
“Grr… Eu juro… Esse pirralho é…”

Ele o olhou fixamente enquanto rangia os dentes, mas depois suspirou.

“Haah~ Eu não posso te vencer com palavras. Tudo bem, nós vamos ir com você.”
“Faça o que quiser.”

Hiro originalmente tinha planejado agir sozinho, mas essa era uma boa oportunidade de aprender sobre os beastman. Com certeza era melhor ter algum conhecimento prévio sobre seu destino, o continente dos beastman. Portanto ele permitiu que eles o acompanhassem.

“Ah, antes que eu me esqueça.”

Arnold subitamente o encarou com olhos estreitos.
“O que?”
“Só um aviso.”
“Diga.”
“………Não coloque suas mãos na Muir”
“Eu sou normal, seu pervertido.”
“Não fode comigo! Eu sou super normal, seu tolo!”
“Mh? Isso é novidade. Eu con certeza não tenho interesse em garotinhas, mas tinha certeza que você tinha?”
“Tudo bem, vamos levar isso pra fora, seu pirralho sem valor!”
“Nós já estamos do lado de fora, Sr. Pedófilo.”
“Não me chame disso!”

Muir encolheu os ombros cansada da infindável troca deles e sussurrou com uma voz tão baixa que não podia ser ouvida por ninguém.

“Muh, eu não sou uma garotinha.”

Sua fala se foi com o vento.

Anúncios